quarta-feira, abril 30, 2008

Cozinhando

Esta semana aproveitei o forno estar ligado para fazer dois petiscos :-) Primeiro, scones, utilizando o preparado da marca Branca de Neve:

Scones

Scones

A seguir, pão de forma no forno, utilizando esta receita partilhada pela Galinha Maria:

Pão de forma no forno

Pão de forma no forno

Ficaram ambos muito bons e desapareceram num ápice!

terça-feira, abril 29, 2008

Colecção - Postais

A outra colecção que mantenho e que comecei há pouco mais de um ano, quando fui a Barcelona e me iniciei no Postcrossing, é a de postais. Acabo por juntar o útil ao agradável, porque com os postais normalmente vêm selos e assim alimento as duas colecções :-) Estes são todos os postais que já recebi pelo Postcrossing:

Postcard Collection

E estes são alguns dos que fui comprando entretanto:

Postcard Collection

(feitos pela YourSecretAdmiral)

Postcard Collection

(feitos pela Glitterworkshop)

Postcard Collection

Postcard Collection

Postcard Collection

(todos comprados em Barcelona)

Tenho-os todos guardados num dossier em capinhas transparentes e vou resistindo à tentação de os enviar quando me correspondo com alguém, porque acho-os muito bonitos!

segunda-feira, abril 28, 2008

Colecção - Selos

Nestas férias da Páscoa iniciei uma nova colecção: selos. Já tenho vindo a acumular alguns bastante giros, dos tempos em que participei activamente no Postcrossing e das encomendas que, com frequência, recebo, por isso decidi começar a guarda-los melhor. Numa loja por que casualmente passámos em Leicester, comprei um mix de 50 selos comemorativos de eventos do Reino Unido, assim como um lindo livro para os guardar:

Stamp Collection

Stamp Collection

Stamp Collection

Stamp Collection

Quando voltar a Barcelona, não me esquecerei de passar numa loja que vi no ano passado (e que, infelizmente, estava fechada), que vendia uma grande diversidade de selos de todo o mundo a preços muito bons!

domingo, abril 27, 2008

Saias

Com o calor a chegar, começa também a vontade de usar peças de roupa mais frescas. Para isso, nada melhor que as saias! Embora nos últimos anos não as tenha usado muito (enquanto que, em pequena, eram as minhas predilectas), neste Verão acho que vão ser a minha peça de eleição. Para começar, pedi à minha mãe que concretizasse uma ideia que já tinha há algum tempo: fazer uma saia com um dos muitos tecidos vintage que temos. Este foi o resultado:

Paisley Skirt

Paisley Skirt

Paisley Skirt

É uma saia muito simples e confortável, também rápida de se fazer! Gostei do resultado e já pedi à minha mãe que me fizesse mais (observando, também eu hei-de aprender) :-) Para isso, encomendei estes tecidos lindos da Retrosaria da Rosa Pomar:





Assim que chegarem, é pôr mãos à obra para tornar este Verão mais colorido, fresco e original!

Novidades!

Pink, Silver and Black Vintage Flowers Headband

Black and Yellow Vintage Flowers Headband

Pink and Blue Vintage Flowers Headband

Black and Blue Vintage Flowers Headband

Pastel Vintage Flowers Necklace

Rainbow Vintage Flowers Necklace

Pastel Vintage Flowers Necklace

Rainbow Vintage Flowers Necklace

Pastel Vintage Flowers Necklace

Pastel Vintage Flowers Necklace

Preços
- Bandoletes: 6€
- Colares: 7€

sexta-feira, abril 25, 2008

Troca ♥

Este mês fiz uma troca com a simpática Vânia e fiquei assim dona de mais um dos seus magníficos colares (o outro é este):

ooak071

Beautiful necklace

É lindo e super delicado! Já tive oportunidade de o usar, muito obrigada :-)

Bolsinhas

Ultimamente tenho feito algumas bolsinhas diferentes do habitual:

Hansel and Gretel Ipod/Cards Pouch

Esta foi feita a pedido da Raquel, para o seu Ipod e documentos!

Colorful Hearts Zipper Pouch

Esta é para a Vanda guardar os documentos do carro :-)

Green Owls Gadjet Cozy

Esta foi uma encomenda especial para o Dia da Mãe e servirá para um leitor de mp3!

segunda-feira, abril 14, 2008

2ª Maratona Fotográfica FNAC Coimbra

No fim-de-semana que passou realizou-se a 2ª Maratona Fotográfica realizada pela FNAC de Coimbra, na qual eu fui uma dos 100 participantes! Durante 24h tínhamos de comparecer em 8 pontos de encontro, onde nos era dado um tema para livremente interpretar e fotografar. Estas foram as fotografias que eu tirei:

Cores

Cores

Vícios

Vícios

Vale do Inferno

Vale do Inferno

As Aparências Iludem

As Aparências Iludem

Solidão

Solidão

Mulher

Mulher

Abraço

Abraço

Milagre

Milagre

Foi bastante divertido participar e valeu a pena a experiência. Agora, no próximo sábado, as fotografias de todos os participantes estarão expostas na FNAC e serão anunciados os vencedores! Lá estarei também.

Prendas

Na semana passada recebi uma surpresa no correio:

Gifts

... foram estas prendas enviadas pela simpática Joana! A pregadeira é feita por ela e é mesmo a minha cara. E o tecido e os botões vão ser muito úteis em novos projectos eheh. Muito obrigada :-)

Apresentando outros artistas: Ana Carina Veríssimo



Esta semana termino a série de vinte entrevistas que tenho aqui publicado durante os últimos meses. Foi uma experiência muito interessante, conhecer estes artistas de vários países e de uma criatividade imensa, espero que tenham gostado tanto como eu! Para terminar em beleza, hoje apresento-vos uma das primeiras crafters que tive o prazer de conhecer quando comecei a explorar este meio. Chama-se Ana Carina Veríssimo e é geóloga em part-time a viver em Torres Vedras (perto de Lisboa).



- Como surgiu o teu interesse pelo artesanato?

Eu cresci numa pequena aldeia nos anos 80 onde era perfeitamente normal ver raparigas jovens no meio de senhoras mais velhas a tricotar, bordar e a fazer crochet. A minha mãe e a minha irmã mais velha eram grandes artesãs (ainda o são) e cresci com elas a fazerem coisas belíssimas ao meu lado. Comecei por aprender a coser à mão, para fazer a roupa das minhas bonecas. Um dia pedi à minha mãe para me ensinar a fazer tricot. Tinha 10/11 anos e queria ter aquela ligação que a minha irmã tinha com a minha mãe. Lembro-me de as ver sentadas a tricotar e a fazer crochet, e havia qualquer coisa de mágico entre elas que eu também queria fazer parte. A minha mãe começou-me um cachecol azul marinho, que só acabei, por piada, há 4 anos atrás. A grande paixão pelo tricot só chegou há 5 ou 6 anos atrás, quando descobri que a internet podia abrir portas para técnicas e materiais que eu não conhecia.

- E daí até começares a vender o que fazias, como é que aconteceu?

Primeiro aperfeiçoei-me. Nunca fui perfeccionista, ao contrário da minha mãe e irmã, e sempre vivi bem com os erros que fazia. Quando isso deixou de acontecer, senti que o meu trabalho já tinha qualidade suficiente para ser vendido. Isso aliado à necessidade de ganhar uns trocos a mais e pelo facto de já não ter espaço nem uso para mais malas e gorros tricotados que fazia.

- De onde vem a tua inspiração?

Sinceramente, não sei. As malas, os cachecóis, os gorros às vezes surgem na minha cabeça e eu faço uns sketches num bloco de notas que anda sempre comigo. Na maioria das vezes esses projectos não chegam às agulhas e poucos são os que saem numa semelhança satisfatória ao desenho do caderno. Mas quando aquilo que idealizamos na nossa cabeça sai exactamente, ou ainda melhor, do que imaginámos, é uma sensação maravilhosa. Como agora tenho andado mais dedicada ao arame tricotado, a inspiração vem mesmo de olhar para as missangas que tenho numa caixa e em misturá-las numa sopa que seja agradável à minha vista.

- Qual o teu material preferido para trabalhares?

Sem dúvida alguma, a lã de Arraiolos. Existe numa enorme variedade de tons (mesmo que cores vivas sejam mais raras), é de óptima qualidade, pura lã a um preço razoável - o que é raro - e é portuguesa e tradicional!

- Pareces ter um especial carinho pelo tricot, é o teu tipo de artesanato preferido? Porquê?

Quando era miúda e via a minha mãe e a minha irmã a criarem peças magníficas, sempre senti que não tinha habilidade manual como elas. Sempre me senti como a mulher da família que tinha mais aptidão para usar o cérebro invés das mãos. Todas as minhas tentativas de aprender a costurar (coisa que ainda hoje faço pobremente), fazer crochet, bordar.. saíram totalmente goradas. Não tenho jeito nenhum. Mas o tricot não, o tricot enraizou-se em mim, aperfeiçoou-se comigo, acompanhou-me devagarinho. E posso dizer que, apesar de desistir das coisas muito facilmente (é um defeito meu), nunca desisti de tricotar.

- Dedicas muito tempo ás tuas criações? Como é a tua rotina diária?

Desde o começo do ano tenho voltado a tricotar mais, porque recomecei a trabalhar em part-time e tenho tido mais tempo. Infelizmente, não posso voltar às minhas rotinas de antigamente, quando estava desempregada, em que tricotava 12 a 14 horas seguidas (soa a obsessão, não é?), porque não tenho esse tempo disponível e por causa de uma tendinite que arranjei no pulso há 2 anos atrás. Agora tricoto umas 2/3 horas por dia e sinto-me bem com este ritmo.

- O que te agrada mais em venderes as tuas peças?

Bom, vou ser muito sincera. O que me agrada mais é mesmo o dinheiro (lol). Antes de vender as minhas peças, estive envolvida em muitas trocas e nada me dava mais prazer que criar uma peça para outra pessoa usar e estimar. Ainda hoje, adoro fazer coisas para outras pessoas. Dá-me prazer que algo que saia das minhas mãos possa fazer outrapessoa feliz. Portanto, eu prefiro oferecer a vender, mas como o dinheiro também dá jeito...

- Planos para o futuro?

Continuar a remodelação da loja, fui Boo Creations durante algum tempo e agora sou Nanouke, as coisas ainda precisam de ser limadas e organizadas (e dá um certo trabalho esta mudança de "arraial"). Registar um domínio, tirar melhores fotografias, ser mais disciplinada... Tricotar é das coisas que mais gosto fazer. Vou fazer um esforço para que possa ser uma pequena fonte de rendimento. Quem não desejaria que o seu trabalho fosse aquilo que mais gosta de fazer?



Podem encontrar mais das maravilhosas criações da Carina na sua loja Etsy ou no seu album Flickr!

terça-feira, abril 08, 2008

Novo retalhista!

Em breve, 15 peças minhas estarão disponíveis na loja Bird on the Wire (& Suicidal)

Bird on the Wire & Suicidal

A loja é francesa (localizada em Paris), mas quem quiser pode encomendar os seus artigos pelo site :-) tem coisas muito bonitas, foi um prazer receber esta proposta!

segunda-feira, abril 07, 2008

Apresentando outros artistas: Vanda Noronha



Esta semana tenho o prazer de vos apresentar uma das artistas que mais admiro: chama-se Vanda Noronha, tem 27 anos, trabalha como criadora a tempo inteiro e vive em Manchester, no Reino Unido, embora seja originalmente do Estoril, em Portugal.



- Sempre te interessaste pelos "crafts" e tens alguma ligação profissional a essa área, ou houve algum momento decisivo em que decidiste começar a fazer coisas? Se sim, qual e porquê?

Quando era pequena queria ser artista, mas não era lá muito jeitosa, bem antes pelo contrário! Acabei por enveredar pelas Humanidades, a minha outra paixão, e tirei o curso e o Mestrado em Religiões e Teologia. Foi quando mudei para o Departamento de História para um doutoramento que comecei a desesperar e a precisar, muito, de escapar creativamente. Já tinha trabalhado como designer gráfica, webdesigner e fotógrafa quando estava na Universidade, mas comecei a ler e a pesquisar sobre o artesanato urbano e a experimentar trinta mil coisas e processos, o resultado dos quais nunca viu a luz do dia! Ainda tive outra loja com algumas experiências, mas não lhes tinha grande amor. Quando criei o colar do coração anatómico achei que tinha finalmente feito algo original, e resolvi pô-lo à venda sob o nome de Paraphernalia, com outros quatro colares da mesma colecção.

- Como surgiu a ideia de começares a vender as tuas peças? Já tinhas essa ideia em mente quando as começaste a fazer, ou foi algo nada planeado? Agora é algo que fazes a tempo inteiro, ou é um hobby? Quando começaste fazias ideia de que ias ser tão bem sucedida e ias ter tanto trabalho, ou pensavas que ias vender só uma peça ou outra de vez em quando?

Não me lembro exactamente de como descobri o Etsy - foi um ano um bocado confuso! Eu sou algo capitalista e acho que trabalhar para a gaveta não faz sentido nenhum, por isso o objectivo sempre foi ter uma loja. A originalidade e integridade do design são muito importantes para mim, mas se trouxerem dinheiro ainda é melhor! Quando comecei tive momentos bons e maus - achava que o que fazia era demasiado estranho, mas também tinha noção que era original o suficiente para ficar na memória das pessoas. Vendi alguns logo uma semana depois de os pôr à venda em Dezembro de 2006 e pouco depois o Coração apareceu na página principal do Etsy, o que tornou a loja mais conhecida! As vendas desse dia também me levaram a pôr a colecção Fauna à venda, que já estava feita mas não fotografada. A partir daí as coisas começaram a vender, até que finalmente em Março fiquei na posição de me dedicar a isto a tempo inteiro, dar o salto e recusar uma bolsa de estudo para o Doutoramento (de onde saí também). O Natal de 2007 foi optimo!

- Onde vais buscar inspiração para as tuas colecções? Qual é o teu material favorito para trabalhar?

Eu tenho centenas de ilustrações antigas de várias fontes e há vezes em que olho para a ilustração em si e vejo um colar, outras vezes a ideia aparece já feita na minha cabeça. Eu sou pouco usual nestas coisas porque não tenho um "inspiration board" com coisas que me inspiram como a maioria dos designers que conheço. Aliás, sou péssima a arranjar inspiração seja onde for - acho sempre que estou a copiar e detesto essa sensação. As coisas que faço tendem a vir só de mim e até gosto disso. O meu material favorito é acrílico, claro! É um material perfeito para mim, porque consigo fazer exactamente o que quero com ele e foi um processo de aprendizagem bastante rápido, o que é bom porque sou extremamente impaciente!

- Planos para o futuro?

Muitos, mas muito no ar! O Francisco (o marido) está agora a acabar o Doutoramento e não sabemos muito bem para onde vamos a seguir. Gostava de eventualmente voltar a Portugal (a santa terrinha, afinal de contas) e de voltar ao Japão durante uns tempos. Quero viajar mais, começar a usar materiais mais nobres e expandir a Paraphernalia. Contratar uma ajudante a part-time também seria perfeito, mas neste país é impossivel! É tudo uma grande aventura :)



Há várias lojas à volta do mundo que vendem os produtos da Vanda, nomeadamente nos E.U.A., Canadá, Austrália, Singapura, Hong Kong, Bélgica, etc... mas a maneira mais fácil de os comprar será mesmo pela sua nova loja. Não deixem de a visitar porque vale muito a pena!